Planejamento financeiro familiar: 10 dicas para ser eficiente

O planejamento familiar das finanças consiste na mudança de hábitos e organização financeira. Tão necessário quanto desafiador, é um elemento-chave para a qualidade de vida e a realização pessoal. Ferramenta extremamente útil, esse planejamento é uma das melhores maneiras de organizar o dinheiro de modo funcional e inteligente.

Não dá para negar que o planejamento financeiro familiar é fundamental para o bom andamento da casa e o bem-estar de seus moradores. Afinal, manter as finanças em ordem ajuda a proporcionar um presente tranquilo e assegurar um futuro estável para toda a família!

Já adiantando: as principais finalidades do planejamento financeiro familiar são equilibrar as contas e controlar o dinheiro. A partir dele, portanto, você consegue saber para onde a verba tem sido destinada e onde exatamente é possível cortar custos. Quer aprender a fazer um bom planejamento financeiro familiar? Então confira nossas dicas agora mesmo!

1. Equilibre as despesas e as receitas

O grande segredo para fazer um planejamento financeiro familiar eficiente é, antes de mais nada, colocar todas as receitas e despesas no papel para tentar equilibrá-las. Essa atitude ajuda no controle das finanças familiares e, de quebra, ainda impede que os membros da família gastem mais do que ganham.

Ao conhecer as despesas e as receitas da casa, é possível traçar metas financeiras, reduzir os gastos, pensar em possibilidades para aumentar a renda e sair do vermelho, caso a situação da família tenha chegado a esse nível.

2. Controle os gastos fixos e variáveis da casa

Outra dica fundamental para planejar as finanças familiares consiste em controlar tanto os gastos fixos como as despesas variáveis da residência. Para isso, crie o hábito de anotar as despesas com água, luz, alimentação, transporte e aluguel, entre tantas outras. E não se esqueça de, ao mapear as contas da família, incluir até mesmo os pequenos gastos, como o lanche escolar ou o cineminha do final de semana.

Para ajudá-lo nessa missão, além da tradicional caderneta, você também pode usar aplicativos financeiros, checklists e planilhas, entre outras ferramentas de gestão. Use a tecnologia a favor do seu orçamento!

3. Crie metas coletivas e divida responsabilidades

Família que planeja e economiza unida permanece unida! Não cabe apenas ao pai ou à mãe cuidar das finanças da casa. Essa é uma missão que deve ser compartilhada com todos, do caçulinha ao vovô. É isso mesmo! Seja evitando desperdícios ou colaborando ao pagar determinadas contas, todos podem contribuir com a saúde financeira familiar.

Além disso, também é importante criar metas coletivas. A família inteira pode, por exemplo, ajudar a poupar em prol de uma viagem nas férias ou de uma reforma na residência. Quando objetivos e responsabilidades são divididos, tudo fica mais fácil e prazeroso!

4. Renegocie as dívidas da família

É simplesmente impossível elaborar um plano financeiro familiar eficiente quando a família está muito endividada. Nesse caso, é crucial que o passado seja zerado. Para tanto, as contas antigas devem ser quitadas.

Com isso em mente, faça um levantamento de todo o valor devido e procure negociar as dívidas com os credores. Só não se esqueça: ao fazer as negociações, não assuma parcelas maiores do que pode pagar. Tenha calma, paciência e organização. Se você só pode quitar uma dívida por vez, faça exatamente isso. Nada de morder mais do que pode mastigar.

5. Tenha uma reserva de emergência

Toda família passa por problemas e imprevistos. Sendo assim, não deixe de criar uma reserva de emergência para gastos que fujam do esperado no seu planejamento financeiro familiar. Imagine se surge uma doença inesperada, se alguém bate o carro ou se é preciso fazer alguns reparos na casa. Como arcar com isso sem ter poupado?

Não restam dúvidas: é muito melhor recorrer a seu próprio dinheiro do que ter que usar o limite do cheque especial, fazer um empréstimo pessoal ou usar o cartão de crédito. Então comece a poupar o quanto antes!

6. Mude os hábitos de compra

Outra atitude que pode fazer uma enorme diferença no orçamento geral da família é mudar os hábitos de compra de seus membros. O ideal é evitar as típicas aquisições por impulso, pensando bem antes de encher as sacolas, além de pesquisar e comparar preços. Fora isso, sempre que possível, que tal tentar comprar à vista?

Além do mais, é necessário ser muito realista e sensato na hora de comprar. Procure alinhar as possibilidades financeiras da família com suas necessidades. Então nada de pensar alto demais ou de priorizar supérfluos em vez de essenciais, ok?

7. Pratique a educação financeira e o consumo consciente

Quando se trata de planejamento financeiro familiar, é impossível deixar de lado a importância da educação financeira e do consumo consciente. Nesse caso, é indispensável dar o exemplo para os filhos, praticando exatamente o que você prega no dia a dia. Lembre-se: as atitudes devem ser coerentes com o discurso.

Diante disso, se você fala tanto sobre economia e organização financeira, evite desperdícios de comida, água ou luz, dê valor ao dinheiro, evite parcelamentos desmedidos, estipule critérios para a mesada das crianças, converse com a família sobre os atuais hábitos de consumo, compartilhe conhecimentos financeiros e o que mais achar relevante nesse sentido.

8. Mantenha a transparência sempre

Não há motivos para ocultar gastos e despesas da família. Por vezes, a real situação financeira é mascarada na tentativa de impedir que alguém sofra. Mas isso é um erro! Entenda de uma vez por todas: o planejamento financeiro familiar só é eficiente, de fato, quando há transparência.

Todos os membros da família precisam ser claros e honestos quanto aos gastos e ganhos. Nesse contexto, se alguém tiver uma dívida pessoal que não esteja conseguindo pagar, por exemplo, os familiares devem saber da situação para possibilitar a criação em conjunto de uma estratégia para controlar essa condição e efetivamente solucionar o problema.

9. Comece a investir dinheiro

Contas mapeadas, despesas e receitas analisadas, hábitos de consumo modificados, gastos supérfluos cortados, desperdícios evitados, dívidas quitadas e família engajada, com propósitos financeiros bem definidos? Então é chegado o momento de dar um passo além.

Nessa etapa do planejamento financeiro familiar, os membros da família devem começar a pensar em investir para aumentar os rendimentos e, quem sabe, conquistar uma maior estabilidade no futuro. Antes de apostar em algum investimento, porém, pesquise as opções existentes, converse com especialistas e analise, junto com os demais interessados, as possibilidades para minimizar os riscos.

10. Comemore toda e qualquer vitória

No planejamento familiar, é crucial acompanhar a evolução das finanças e celebrar cada objetivo alcançado, seja ele individual ou coletivo. A quitação completa de uma dívida, uma negociação bem-sucedida, a aquisição de um novo bem: todo resultado positivo deve ser compartilhado e comemorado. Talvez vocês tenham passado por um intenso momento de restrições e, agora, enfim, estejam respirando aliviados, com as contas de volta à normalidade. Essa conquista merece comemoração!

Não estamos falando de se endividar com uma festa ou uma saída cara para celebrar em alto estilo. Vocês podem simplesmente fazer um almoço ou um jantar especial em casa mesmo para contar as vitórias financeiras. Isso manterá a família motivada e focada no propósito de continuar se organizando financeiramente.

Por fim, se você gostou das nossas dicas de planejamento financeiro e quer ter acesso a mais conteúdos com informações para cuidar bem da casa, não deixe de curtir a nossa página no Facebook!

Sua opinião é muito importante!

Comentários