A força feminina no mercado de trabalho

Uma data representada por força, cuidado e diversidade. O Dia Internacional das Mulheres, celebrado nessa terça-feira (08/03), é carregada de histórias e aprendizados que movimentam a atitude feminina no mundo. Uma luta constante por igualdade e respeito ao gênero, essenciais para a garantia de melhores condições e estrutura de vida.

Nos últimos anos, com a pandemia, esta luta se intensificou, principalmente, no mercado de trabalho. No Brasil, um estudo divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelou que a taxa de desemprego das mulheres é a maior registrada desde 2012. No ano passado, chegou-se à marca de 16,45%, um total de 7,5 milhões de desempregadas. O índice médio anual foi de 13,20%, conforme levantamento.

Embora a crise mundial de saúde tenha impactado diretamente no mercado; as mulheres demonstraram resiliência e foco para superar as adversidades. Elas têm se reinventado e mostrado sua essencialidade na família e nos novos desafios profissionais. Segundo o Sebrae, após retração no início da pandemia, o empreendedorismo feminino apresentou recuperação, fechando 2021 com 10,1 milhões de empresas dirigidas por mulheres.

Essa força empreendedora e profissional, somada ao poder de transformação e inspirada em cuidado, atenção e firmeza movimenta também a UAUIngleza. Uma empresa nacional com mais de seis décadas, referência no desenvolvimento de produtos de higiene e limpeza de alta qualidade. Hoje, a organização conta com mais de 100 mulheres em todo o seu quadro de funcionários.

Um grande exemplo é a Juliana Souza, supervisora de envase na UAUIngleza. A primeira líder contratada para o setor produtivo da empresa. Segundo ela, no início, os operadores tinham certa resistência já que é uma área predominantemente masculina. “Com o tempo consegui conquistar meu espaço e minha equipe nessa posição de liderança feminina.”

De lá pra cá, as características femininas são cada vez mais valorizadas dentro da organização. “No dia a dia, percebo que as mulheres se destacam pelo cuidado, organização, facilidade em contornar situações de conflito e atenção em cada processo”, conta Juliana. Hoje, 45% das gerências e diretorias da empresa, são ocupadas por mulheres. Um movimento que reforça a igualdade profissional, estimula um olhar de força e, ao mesmo tempo, de delicadeza para as relações e entregas esperadas pela companhia.

Sua opinião é muito importante!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.